Servios
Agenda
Postagens
Cinema
Sua empresa no guia - clique aqui!
In�cio
SONHAR SOBRE O FUTURO NO FAR VOC ATINGIR SEUS OBJETIVOS
Martello Gesto de Pessoas
10
Out
2014


Sonhar é a maneira de explorar futuras possibilidades mas que pode nos fazer esquecer os obstáculos
Todos já ouviram falar da lei da atração, popularizado por livros muitas vezes chamados de "autoajuda". Se você quer algo forte o suficiente, ele virá. Mas isso é só uma parte do sonhar.
A escritora Lindsay Lavine, em um recente artigo para o Fast Company, fala sobre os ensinamentos da professora de Psicologia na Universidade de Nova York, Gabriele Oettingen, que estuda motivação humana há mais de 20 anos.
“Sonhar é importante", diz Oettingen. "Sonhar é a maneira que temos de explorar futuras possibilidades. Para isso, sonhar é muito bom", completa. O que atrapalha é quando esquecemos os obstáculos e as tentações que aparecem ao longo do caminho.
Para isso Gabriele quebrou o processo de não se iludir com sonhos e mudar seus hábitos para alcançar sonhos em 4 passos. O "WOOP", sigla para Wish, Outcome, Obstacle e Plan (Desejo, Resultado, Obstáculo e Plano, em português) pode ser aplicado para todas as áreas da vida: de saúde ao trabalho, de relacionamentos à diversão.
1 - Identifique um desejo importante
Pergunte a si mesmo o que você deseja. Precisa ser algo desafiante, mas possível de alcançar em um determinado período de tempo. Por exemplo, se tornar mais confortável durante apresentações para um grande público.
2 - Pense no melhor resultado possível com seu objetivo
Mantendo-se no exemplo de falar em público, o resultado pode ser você passando a sua mensagem a um grande público e convencendo-os, ou então respondendo todas as dúvidas de forma maestral. "Deixe sua mente fluir e imagine como seria bom alcançar o seu objetivo", sugere Oettingen.
3 - Identifique os obstáculos em seu caminho
Pergunte a si mesmo: O que está no meu caminho? Você só consegue controlar a forma que você age. Você não conseguirá mudar seu chefe ou controlar a maneira que a companhia reage. Seguindo o exemplo da oratória, você pode falar rápido demais quando está nervoso ou tem medo de esquecer o que você precisa falar.
4 - Crie um plano para superar as dificuldades
"Pense nas ações que você pode tomar ao encarar o problema e use a fórmula "se/então"", diz Oettingen. Por exemplo, "se eu ficar nervoso, então me lembrarei de todas as apresentações bem sucedidas que já dei", ou "se eu ficar com medo de esquecer os pontos principais, então passarei mais tempo preparando e memorizando-os".
Para iniciar a adesão ao "WOOP", é necessário tempo para focar. Pode ser durante o horário de almoço ou qualquer hora de pouco esforço mental. Você não pode pensar sobre esses 4 pontos enquanto responde e-mails ou está ajudando seus filhos com o dever de casa. Para entender melhor, visite o site de Oettingen.


Coment�rios (0)
VOC DONO DO SEU PRPRIO TEMPO?
Martello Gesto de Pessoas
26
Mar
2014

Você é dono do seu próprio tempo?

Cultivamos a ideia de que quanto mais rápido atingirmos nossos objetivos, melhor.


 

O dia tem apenas 24 horas, mas é incrível como para algumas pessoas parece durar mais. Fui um workaholic durante vários anos. Trabalhava mais de 12 horas por dia porque acreditava que essa era a receita para alcançar o sucesso e realizar meus sonhos. 

Ledo engano. Um problema de saúde me fez rever meus conceitos. Fui obrigado a trocar pelo menos duas horas do meu tempo de trabalho pela prática de exercícios físicos. 

O curioso é que, depois de promover essa mudança, mesmo trabalhando menos, minha produtividade aumentou. 

Então, percebi que não era dono do meu tempo. Outras pessoas o comandavam sem que eu percebesse e, por isso, ele se esvaia como as águas de um rio, sem o meu controle. Passei a observar pessoas que conseguem realizar grandes projetos e vi como elas são donas do seu tempo. 

Percebi como mantém o foco em seus objetivos de forma organizada. Quando alguém diz não ter tempo para algo, na verdade está dizendo que aquilo não é sua prioridade.  

Entre as diversas pessoas que entrevistei durante meus estudos sobre motivação e empreendedorismo, estava Carlos. Ele era um empresário do ramo do turismo e trabalhava muito. Acreditava que esse era o caminho para conseguir realizar seus objetivos e fazer sua agência de viagens crescer. 

Ele tinha um sócio que, pontualmente, fechava suas gavetas às 18h e ia para academia de ginástica. Carlos achava que deveria ser melhor remunerado, uma vez que trabalhava mais. O clima entre os dois ficou ruim quando alguns negócios não se concretizaram e Carlos culpou a falta de dedicação de seu parceiro. 

Pouco tempo depois, Carlos foi surpreendido com a notícia de que sua filha estava com leucemia. Foram meses de tratamento que exigiram que ele também fechasse suas gavetas mais cedo para cuidar de sua filha. 

Ele teve que priorizar as tarefas da agência e se concentrar no que era realmente importante. A história teve um final duplamente feliz. A filha de Carlos ficou curada e a agência continuou a crescer. 

Carlos também percebeu como o segredo do sucesso não está na quantidade de trabalho que realizamos, mas na qualidade do trabalho. 

Tenho inúmeros amigos da chamada Geração Y que vivem "conectados" 24 horas. Acham que isso significa ganhar tempo, mas, na verdade, estão perdendo foco. Cultivamos a ideia de que quanto mais rápido atingirmos nossos objetivos, melhor. 

A partir dos meus estudos criei um ciclo para administração do nosso tempo divido em quatro etapas fundamentais: o tempo para despertar, o tempo para aprender, o tempo para construir e o tempo para compartilhar. 

O tempo para despertar é a etapa da nossa vida em que devemos focar nossos objetivos na descoberta da nossa essência e identificar quais são nossos talentos e o trabalho capaz de nos apaixonar e motivar. 

A segunda etapa é o tempo de aprender. Nesse período, você investirá na aquisição dos conhecimentos para se tornar uma pessoa capaz de realizar seu sonho. Só depois de aprender podemos iniciar a etapa que chamo do tempo de construir, que é o momento em que você, de fato, começará a produzir e construir uma carreira ou realizar um projeto. 

Por fim, nunca devemos esquecer a última e importante etapa do ciclo: o tempo de compartilhar. Classifico essa etapa como uma grande missão em nossas vidas. 

 

Todos devem dividir seus conhecimentos e experiências para ajudar pessoas a traçar caminhos melhores. Então, vá em frente, seja dono do seu tempo e realize grandes objetivos.


Coment�rios (0)
3 DICAS SIMPLES PARA FAZER SUA CARREIRA EVOLUIR
Martello Gesto de Pessoas
16
Jan
2014

Se você acha que sua carreira está parada no tempo, veja 3 dicas que farão com que ela evolua rumo ao sucesso. Ficar perdido enquanto se busca uma carreira de sucesso não é incomum: na verdade, muitas pessoas são afetadas por uma confusão de pensamentos e atitudes que podem dificultar sua ascensão profissional. Por isso, nós da Universia Brasil selecionamos 3 dicas simples para que a sua carreira evolua:


1 – Ter um bom currículo
O seu currículo deve, antes de qualquer coisa, ser uma representação de você e das suas qualificações, portanto faça você mesmo o seu e não baixe modelos prontos da internet. Esteja constantemente acrescentando e atualizando informações. Ele é o seu verdadeiro cartão de visita.

2 – Estabelecer objetivos claros
A fórmula "esforços + objetivos = carreira de sucesso" é essencial caso você queira alcançar sucesso profissional. Estabeleça metas e objetivos para a sua carreira, faça cronogramas, enfim: mantenha o foco.

3 – Procurar oportunidades
Não estamos dizendo que você deva procurar novas empresas o tempo todo, mas sim que você deve aproveitar cada oportunidade que você tenha para se desenvolver e evoluir. Quanto mais oportunidades você tiver, mais experiência conseguirá e com a experiência terá também uma qualificação maior.

Fonte: Universia Brasil

 


Coment�rios (0)
O que eles querem
Martello Gesto de Pessoas
19
Ago
2013

O que eles querem

Geração Y valoriza o peso da inovação nos resultados das empresas

 

 

 

A inovação é essencial para o crescimento dos negócios na opinião de 78% dos futuros líderes empresariais do mundo. Isso é o que mostra a pesquisa Millennial, realizada pela Deloitte com mais de 5 mil profissionais que integram a geração Y (nascidos entre 1982 e o começo da década de 90) de 18 países, entre eles o Brasil.

Mesmo com a crise econômica chegando ao sexto ano, apenas 26% dos Ys acham que os atuais líderes empresariais estão fazendo o suficiente para encorajar práticas que promovam a inovação. "A concorrência no mundo dos negócios está cada vez maior. Ou as empresas acompanham as inovações promovendo novas ideias que prosperem ou acabarão perdendo espaço no mercado", explica o líder da prática de Inovação da Deloitte, Milton Da Vila.

O estudo revela ainda que 84% dos futuros líderes consideram que as inovações de negócios têm um impacto positivo na sociedade e 65% acreditam que as atividades de suas empresas beneficiam a sociedade de alguma maneira. Quase metade dos entrevistados (45%) acredita que as inovações de negócios geram mais impacto positivo na sociedade do que as inovações do governo (18%) e das entidades acadêmicas (17%).

Catalisador
A inovação é considerada um fator importante para o recrutamento e a retenção de um talento. Dois terços dos entrevistados disseram que a inovação é um fator-chave para uma empresa escolher seus funcionários. Desta maneira, as companhias atraem um número cada vez maior de funcionários da geração Y e eles deverão representar 75% da força de trabalho do mundo em 2025. No entanto, as divergências apareceram quando os entrevistados foram questionados sobre os pré-requisitos para a inovação:

39% acreditam que, para inovar, é necessário investir em incentivos e recompensas para novas ideias e criatividade, mas apenas 20% dizem 
que a sua atual empresa trabalha dessa maneira.

34% dizem que para obter um ambiente de trabalho inovador é preciso oferecer tempo livre para os funcionários se dedicarem ao aprendizado e à criatividade, enquanto apenas 17% caracterizam seu local de trabalho dessa maneira.

32% consideram a abertura de desafios e a liberdade de criação como chave para a inovação, contra 17% que dizem que isso é possível em suas organizações.

42% acreditam na importância de incentivar o pensamento inovador em todos os níveis da empresa; apenas 26% afirmam que isso ocorre em suas empresas.

"O processo de transição dos antigos para os novos líderes é contínuo. Passa por uma questão cultural em que as empresas entendem que é preciso investir em inovação. Conforme as novas gerações assumem as lideranças das empresas, a visão muda, pois a geração Y tem mais consciência sobre a importância de investir em ideias criativas e pesquisas e, consequentemente, quem valorizar mais essas iniciativas terá mais sucesso no futuro", diz Vila.


Coment�rios (0)
Colunistas
Martello Gesto de Pessoas

Sobre

Empresa especializada na prestao de servio, oferecendo solues referentes a todos os subsistemas de Recursos Humanos, suprindo as necessidades dos nossos clientes, visando desenvolvimento humano nas organizaes, revelando talentos com foco em resultados.


O seu navegador não é mais suportado.

Atualize para um navegador moderno.
Obrigado, equipe Guia Lageano.