Serviços
Agenda
Postagens
Cinema
Sua empresa no guia - clique aqui!
In�cio
O uso do Youtube em sala de aula
Dione Ribeiro
01
Ago
2017

O Youtube funciona basicamente como uma plataforma de armazenamento e distribuição de vídeos sob demanda. Esse ambiente é utilizado para as mais variadas finalidades, como por exemplo a divulgação de músicas, projetos, aulas e trabalhos educacionais.

Essa ferramenta é muito útil para o ensino da Língua Portuguesa. A comunicação oral pode ser estimulada através de entrevistas e expressão corporal. Os alunos podem criar vídeos relacionados ao conteúdo ministrado em sala de aula. Após a edição, a produção multimídia fica armazenada no Youtube, podendo assim ser explanada no decorrer das aulas.

 

Consoante a isso, os educandos têm a oportunidade de analisar as criações, onde facilmente o professor e os colegas podem identificar desacertos no uso da língua materna. As tecnologias são de suma importância para aliar a teoria à prática, oportunizando cada vez mais a reflexão da ação pedagógica através do ensino por competências.


Coment�rios (0)
Marco Civil - Governo regulamenta lei que disciplina o uso da internet no Brasil
Dione Ribeiro
16
Mai
2016

A regulamentação do Marco Civil da Internet foi assinada nessa semana. A lei trata da segurança, direitos e responsabilidades dos provedores e de quem usa a rede. O repórter José Roberto Burnier tem os detalhes. 

A lei que disciplina o uso da internet no Brasil está em vigor há dois anos, mas só esta semana ela foi regulamentada. O decreto, chamado de Marco Civil da Internet, foi um dos últimos atos assinados pela presidente Dilma Rousseff antes de ser afastada. Ele entra em vigor no dia 10 de junho.

Um dos temas é a chamada neutralidade. Quer dizer, o provedor da banda larga não pode reduzir a velocidade, nem a qualidade da transmissão de dados em hipótese alguma, nem mesmo se o usuário estiver usando, por exemplo, o serviço de uma concorrente.

Só em casos de urgência, como notificações de fenômenos naturais, furacão, terremoto é que o provedor deverá dar prioridade à autoridade pública.

Outra questão regulamentada é que o provedor não pode ser responsabilizado pelo conteúdo publicado pelos usuários e que esse conteúdo só pode ser retirado do ar por determinação judicial. 

Mas também há exceções. Se o conteúdo for, por exemplo, material de pedofilia, racismo ou violência, ele poderá ser retirado sem ordem judicial até que o caso seja analisado por um juiz.

“Acho que o que nós buscamos nesse processo todo foi garantias. Garantias, seja pra quem tá atuando na internet, seja pro usuário e seja pra quem quiser utilizar a internet. Acho que isso é importante”, diz Eduardo Parajo, presidente da Associação Brasileira de Internet.

Um dos principais temas que foram regulamentados é o da segurança dos nossos dados, de usuários. O teor de conversas que a gente tem e com quem a gente está falando, seja pelo telefone, seja pelo computador, isso tudo só pode ser acessado com ordem judicial. Agora, os nossos dados cadastrais, nome, endereço, filiação, isso tudo pode ser acessado sem ordem judicial por autoridades administrativas. Para os advogados que entendem do assunto, esse é um problema, porque o decreto não define quais são essas autoridades administrativas.

“Ficaria mais claro para a população e autoridades se no Marco Civil já viesse estabelecida essa diretriz e quais são essas autoridades. O Comitê Gestor da Internet, ele vai ter que dizer quem são essas autoridades administrativas”, afirma Coriolano Camargo, presidente da Comissão de Direito Digital a OAB/SP.

Quem usa a internet ficou com a pulga atrás da orelha.

É complicado, né? O que você, exatamente, define como autoridade? A polícia? É um juiz? Um pedido da Defensoria Pública? O simples termo autoridades é bem amplo, é bem complicado”, pondera o bancário Hugo de Carvalho.

Com regra ou não, o usuário precisa ter mais responsabilidade na forma como ele usa a internet.

“Uma vez que está na internet, nunca desaparece, às vezes a gente acaba esquecendo um pouco disso, a internet é eterna, colocou, ficou", diz Guilherme Roselia, designer de games.

Uma coisa é fato: a regulamentação traz mais segurança para a internet no Brasil.

“Acho que à medida que a internet vai ficando cada vez mais no nosso dia a dia, nossa ferramenta, nós a usaremos com mais responsabilidade e com mais sabedoria. E com isso ela será ainda mais útil”, diz Demi Getschko, membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil.

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2016/05/governo-regulamenta-lei-que-disciplina-o-uso-da-internet-no-brasil.html


Coment�rios (0)
OLO: impressora 3D compatível com os smartphones
Dione Ribeiro
05
Out
2015

As impressoras 3D podem não ser extremamente populares, porém são bem interessantes e chamam a atenção de muitas pessoas. Contudo, elas são um tanto grandes e pouco portáteis. Foi pensando nisso que o OLO foi desenvolvido: um tipo de impressora 3D capaz de funcionar com aparelhos com iOS, Android e Windows Mobile.

O OLO é um protótipo da Solido3D em fase de finalização e poderá ser adquirido em aproximadamente em um mês pelo valor de US$ 99. De acordo com os desenvolvedores, o OLO permite que qualquer smartphone seja transformado em uma impressora 3D.

Apesar de muitas pessoas pedirem por mais detalhes do funcionamento do aparelho, pouco foi revelado até o momento. Inclusive, no vídeo de apresentação que você confere no topo do texto, não podemos visualizar muitas informações do produto em si além do conceito que ele traz.

Fonte:http://www.tecmundo.com.br/impressora-3d/87570-conheca-olo-impressora-3d-compativel-smartphones.htm


Coment�rios (0)
Procuradoria investiga site que expõe dados e pede que seja retirado do ar
Dione Ribeiro
27
Jul
2015

A Procuradoria da República no Rio Grande do Norte abriu uma investigação sobre o site "Tudo Sobre Todos" que oferece informações pessoais de brasileirosem uma simples busca pelo nome completo ou mesmo pelo número do CPF.

São dados que vão de endereço, data de nascimento, nome de parentes, até nome de vizinhos. Apenas algumas das informações são abertas, mas para ter a ficha completa de uma determinada pessoa basta comprar créditos que custam R$ 0,99.

"É óbvio que a existência de tal banco de dados, em princípio, representa uma violação às clausulas constitucionais da inviolabilidade da intimidade, da vida privada e dos dados das pessoas", apontou o procurador Kleber Martins de Araújo, após fazer uma busca do próprio nome no site.

Segundo ele, até a última sexta-feira (24), não havia nenhum processo extrajudicial instaurado para averiguar a legalidade do "Tudo sobre Todos" e adotar as providências cabíveis.

Na abertura da investigação, Araújo recomendou a retirada do site do ar enquanto a legalidade da sua permanência não é decidida em definitivo. 

Fonte: http://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/07/27/procuradoria-investiga-site-que-expoe-dados-e-pede-que-seja-retirado-do-ar.htm


Coment�rios (0)
Workshop IEL - Sensibilização para a Inovação
Dione Ribeiro
10
Abr
2015

A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC) e o Instituto Evaldo Lodi (IEL) formularam um Workshop para sensibilizar empresários e representantes de empresas para a Inovação. Conceitos, cases e práticas acerca do entendimento da inovação para a indústria catarinense fizeram parte da manhã do dia 09/04/15, quinta-feira, na Associação dos Sindicatos Filiados à FIESC.

Segundo o Vice Presidente da FIESC na Regional Serrana, Israel Marcon, essa iniciativa tem como principal objetivo disseminar a cultura inovadora dentro da indústria.

O workshop comandado por Alexsandro Foyth, do IEL/Joinville, teve como principal objetivo despertar a inovação e a tecnologia, estas alinhadas no intuito de promover a maturidade das empresas. O mesmo citou o Manual de Oslo, que destaca a importância do desenvolvimento tecnológico e da inovação para o crescimento da produtividade e do emprego.

Outro ponto importante do Workshop foi a citação dos benefícios fiscais da Lei do bem, que se apoia nos conceitos do Manual de Frascati que devem ser aplicados em relação à Pesquisa e Desenvolvimento do apoio técnico. Os diversos tipos de inovação: produtos, organizacional, serviços, modelo de negócios, social, tecnológica, não-tecnológica, radical, incremental, fechada e aberta, também foram mencionados.

Ganho de dinheiro com royalties de patentes; Crowdsourcing - modelo de criação e/ou produção, que conta com a mão-de-obra e conhecimento coletivos, para desenvolver soluções e criar produtos e Inovacred - financiamento a empresas de receita operacional bruta anual ou anualizada de até R$ 90 milhões, para aplicação no desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços, ou no aprimoramento dos já existentes, ou ainda em inovação em marketing ou inovação organizacional.

Por fim, o objetivo principal do workshop foi de fomentar a competitividade das empresas no âmbito regional ou nacional.

Fontes:

http://download.finep.gov.br/imprensa/manual_de_oslo.pdf

http://www.leidobem.com/manual-de-frascati/

http://www.finep.gov.br/pagina.asp?pag=programas_inovacred

http://www.saiadolugar.com.br/tecnologias/o-que-e-crowdsourcing-explicacao-e-exemplos/


Coment�rios (0)
Postagens passadas >>
Colunistas
Dione Ribeiro

Sobre

Dione Ribeiro é responsável pela área de Tecnologia e Inovação Educacional na empresa FIESC - SENAI/SC em Lages, Curitibanos, Otacílio Costa e Correia Pinto. Bacharel em Ciência da Computação e pós-graduado em Redes de Computadores e Docência no Ensino Superior.



O seu navegador não é mais suportado.

Atualize para um navegador moderno.
Obrigado, equipe Guia Lageano.